26 setembro 2016

gajos do Secundário

Sem comentários:
... ok antes de mais, não vem aí merda. Prometo.

   Para além de emocionalmente lixada, a minha adolescência está definitivamente mais vincada pelas incertezas quanto ao meu corpo que os bilhetes que eu entrego aos revisores da CP depois de os amarrotar todos.  Claro está que, além de as raparigas cá do sítio serem cada uma um pináculo da divina criação, nem os rapazes me sabem ajudar em matérias de sair à rua e ficar feliz comigo. Acreditem ou não, quando cheguei à Secundária, deparei-me com a mais extensa panóplia de Afrodites feitas homem que alguma vez vi. Resultado de imagem para stare.deviantart
   Em resumo, nunca ajuda quando até os gajos saem à rua mais lindas que eu.

25 setembro 2016

Às criaturas usadas e outros que tais

Sem comentários:
   Vá, e daí que agora só pensas que ninguém te quer pelo que és? Que és tu que não serves de muito, que és tu que não tens valor nenhum ou coisa alguma? Pois deixa que te diga que não, que isso está incorrecto, que não é por um retardo qualquer ter descartado a caixa de gelado inteira que o gelado não é bom para todos os outros: porque no fundo, tudo se resume a ingratos que não dão valor à caixa de gelado que têm, e que não percebem que se só querem é provar, que deviam era ir à geladaria ali na esquina que oferece amostras de graça.
   Porque, sejamos honestos, não há necessidade nenhuma de deixar o gelado a descongelar e a estragar-se todo para o próximo que o quisesse para se abraçar ao seu balde e valorizá-lo e dar graças por nos momentos mais negros ter o gelado.

Resultado de imagem para sad crying gifs

15 setembro 2016

//dúvidas?

Sem comentários:

:iconmingplz:   Dizem que «ano novo, vida nova», mas todos sabemos que a porra é a mesma virado o disco. Admitamos: a escola está sempre no mesmo poleiro, as turmas nem mudam muito, os professores continuam com a mesma cara de enfado, e o ano lectivo continua a parecer só mais um longo ano de jornada árdua sob chuva e granizo, com uma contemplação de exames no final.
a menos que estejam nalgum universo paralelo. aí a porra muda de tom. Resultado de imagem para stare.deviantart

12 setembro 2016

e se a criança que um dia fui me visse agora?

Sem comentários:

Vou-te ser honesta: eu nem me lembro de ti. Verdade! Preciso que os outros me digam como eras para me recordar; e do pouco muito pouco de que guardo memória, prefiro esquecer. 

Se me visses agora, que dirias? Dizem que eras alegre, mas sei que nem de perto eras compreensiva; sim, disso lembro-me: eras impetuosa, teimosa até. Talvez não aceitasses a bagunça amostrada de gente que eu me tornei. Mas não te preocupes, essa parte de ti não morreu: eu também não aceito ♥
Resultado de imagem para separador entradas blogger
   Ok, blockquote à parte faço blockquote cada vez que a depressão liga, mais alguém pensa nisto? Eu dou por mim dias completos de crise existencial atormentada pela ideia de aquela pitinha que fui me entrar pela porta e pregar quatro pares de estalos e me passar uma compostura. Resultado de imagem para stare.deviantart Se nunca pensaram nisto, pensem agora e vejam por vocês o deprimente que isto não é.


... já está? Vamos a isto! ò v ó

07 setembro 2016

{o que se esperar quando o ex gosta de escarar}

Sem comentários:
   Há coisas estúpidas que todos fazemos na vida e que nos arrependemos um dia :) Pois essas terão de ter sido mesmo mal feitas, porque de cada erro se retira sempre alguma lição, e só isso já faz com que a aselhice só por si nem seja tão aselha ♥ Agora, há os outros erros: os outros que, por muito que nos tenham ensinado, e por muito que nós reconheçamos que aprendemos verdadeiramos ... não valem nada daquilo que a eles se segue ~

06 setembro 2016

[to:] gramps

Sem comentários:
   Não deixa de ser curioso: nem fazes anos, nem nada que se pareça ... sonhei apenas contigo. Sonhei, sim, porque embora já não te veja ali, esperando-me pachorrento de chanatos calçados de jornal na mão, vejo-te noite após noite, sentado num cantinho calorento das minhas memórias.
   Sinto falta das tuas histórias? Talvez, talvez sinta muito a sua falta, repetida ou não pela quarta vez. Como as queria ter gravadas, ou escritas nessa tua caligrafia aprumada e ininteligível, mas terei de contar com a memória para isso, creio. Basta-me: a tua voz não é nada que se esqueça, oiço-a arrastar-se pelos pensamentos e a rolar palavras com mansidão. Sinto, sinto falta das histórias ... 

05 setembro 2016

Internanço

Sem comentários:
«É que nós nem temos culpa, mas cada tuga já tem entranhado no ADN pelo menos o refrão de cada música dos Xutos»
Resultado de imagem para ming plz deviantart
   YoYo gentes! :D Vão dizer que não, é? Nem me mintam, que seja qual for a música, cada português  sabe pelo menos o refrão u-u Xutos é vida, Xutos é tesouro nacional ~ vejam lá se foi o hino que se cantou quando demos a abada àqueles franceses?
  Enfim, isto é muito destoado daquilo que venho para falar ~ Estamos a quê, picos de Setembro?, e eu ainda nem sei quando me começam as aulas •u• Acho que é dia 15 ...? Nem sei mesmo, mas honestamente, podiam começar lá pelo Natal que por me era igual ao litro :'D Porque, falando a sério, ainda me falta muito para preparar antes de regressar a mais um ano de internamento intensivo naquele manicómio escola Resultado de imagem para stare deviantart